Tuesday, April 8, 2008

ARBITRAGEM DA RD CONGO ELIMINA SPORTING DA LIGA DOS CAMPEÕES


A equipa nacional do Sporting Clube da Praia, foi este domingo eliminada da Liga dos Campeões Africanos, pela equipa de arbitragem que viajou da vizinha RD Congo, país que faz fronteira a Norte/Leste com Angola.
Em jogo da segunda-mão dos dezasseis-ávos de final da Liga, o SCP que entrou em campo com vantagem tangencial de 2-1, teve algumas dificuldades para furar a cortina defensiva do Inter que apontou o seu único golo já em período de descontos da etapa complementar.
O SCP não foi a melhor equipa em campo, mas pode, perfeitamente, queixar-se da arbitragem. Uma grande penalidade inventada, mas, sabiamente defendida por Magueth, um golo de Chêlo, no decorrer da segunda parte, entretanto anulado, são apenas duas das muitas razões de queixa contra um trio sem credibilidade que arbitrou este jogo. Por várias vezes o árbitro admoestou com cartolina amarela os pupilos de Beto que, não obstante a derrota, saíram do campo com a cara levantada, orgulhando um povo pobre que não troca sua dignidade por qualquer preço.
No final da partida o desânimo era tanto, que os jogadores e a claque de apoio até choraram, perante tamanha indignidade de uma arbitragem que mancha um encontro da Liga dos Campeões.
Beto que sempre acreditou na passagem, escalonou o seguinte onze: Magueth, Lenine, Loloty, Ivandro, Stópira, Dário, Penha, Bá Banco, Platini, Zé di Tchetcha e Di I, capitão. No minuto 26, da etapa primeira, Bá Banco lesionado cede lugar a Chêlo. No início da segunda metade, Beto trocou Zé di Tchetcha por Theodore, e no minuto 14, fez entrar Yuri para o lugar de Platini.
O árbitro central, Jean Zabubu Kankondê, coadjuvado por Jean Robert Matalatala e Pierre Banza tiveram influência directa no resultado, patrocinando assim, a derrota do conjunto nacional, e consequentemente o nosso afastamento da prova.
No final da partida, Expresso das Ilhas on-line que acompanha o combinado nacional, viveu também o desânimo crioulo, no estádio "22 de Junho", casa própria do Inter, palco deste jogo.
Até o comissário da CAF para este jogo portou-se mal, pedindo inclusive a polícia de Luanda para prender o presidente do SCP, Rui Évora, que prontamente manifestou sua indignação perante a vergonhosa arbitragem da RD Congo.
Cabo Verde perde a eliminatória, mas não perde a sua dignidade, felizmente.
Expresso das Ilhas

No comments:

Post a Comment